Skip to main content

Com o objetivo de aumentar a capacidade de recolha de resíduos e melhorar a imagem urbana, a Câmara Municipal da Moita está a reconverter alguns pontos de recolha no município, através da substituição dos contentores já existentes, utilizando pela primeira vez os contentores enterrados Green Bee, da Lasso.

De momento, a reconversão abrange dois ecopontos – também designados de “ilhas ecológicas”. O primeiro já foi instalado, na Rua Dr. Alexandre Sequeira, junto ao Largo do Mercado, onde os contentores existentes foram substituídos pelos contentores enterrados Green Bee. O ecoponto é constituído por sete contentores, sendo três para recolha seletiva de vidro, papel e embalagens, e quatro para resíduos indiferenciados, com sistema hidráulico, sendo que um destes últimos será em breve adaptado a recolha de biorresíduos.

O segundo ecoponto será instalado em breve noutro ponto da vila, no cruzamento da Rua D. Pedro II com a Rua dos Descobrimentos, onde os novos contentores enterrados Green Bee irão substituir os antigos contentores de superfície lá existentes.

Os marcos dos contentores Red Bee, da Lasso™, já estão instalados em Santo Tirso, no âmbito do projeto-piloto para recolha seletiva de biorresíduos em curso neste município, abrangendo o centro da cidade de Santo Tirso e Vila das Aves. Os marcos Red Bee apresentam uma estética e um formato com pouco impacto paisagístico, proporcionam um fácil acesso, são fabricados em aço inoxidável (mais apropriado e resistente para este tipo de resíduos) e são mais funcionais, dada a sua tampa de tambor com acesso condicionado por cartão.

Recorde-se que os biorresíduos são compostos por materiais orgânicos biodegradáveis, como legumes, cascas de fruta, carne, peixe, ovos crus ou cozinhados, restos de pão e bolos, borras de café, saquetas de chá e guardanapos de papel, assim como resíduos de jardim (folhas, galhos e relva).

Neste momento, já todos os 13 sistemas Red Bee estão instalados e preparados para a deposição voluntária de biorresíduos por parte dos munícipes. Os novos marcos Red Bee estão identificados com a sinalética de cor castanha, específica para os biorresíduos, e equipados com um sistema inteligente de controlo de acesso, que funciona com os cartões disponibilizados aos munícipes pela câmara municipal.

Os munícipes que aderem ao projeto recebem um kit de adesão composto por um balde de sete litros destinado ao depósito dos biorresíduos (adequado para as cozinhas e facilmente lavável na máquina da louça), um folheto informativo para aconselhamento sobre quais os resíduos que devem ser depositados e quais os que não devem ser colocados no contentor e um cartão para acesso ao contentor.

O objetivo é que os munícipes possam separar os biorresíduos em sua casa no balde e que os depositem posteriormente nos novos contentores identificados para o efeito. Importa referir que o acesso condicionado aos contentores é realizado para garantir que os resíduos depositados não contêm contaminantes – a contaminação poderia colocar em causa a viabilidade de valorização do resíduo para a produção de composto e, assim, voltar à terra e ser reutilizado.