Skip to main content

A equipa da Lasso realizou uma ação de formação junto dos colaboradores da SUMA, vocacionada para a correta operação de recolha de biorresíduos, no município de Oliveira do Bairro, que está agora a iniciar a recolha desse tipo de resíduos domésticos. O objetivo é o de dar apoio aos operadores de recolha no sentido de tornar a operação o mais rápida e eficiente possível, com a máxima de segurança.

A Câmara Municipal de Oliveira do Bairro instalou recentemente 17 contentores Lasso. Com uma capacidade de cerca de 2 m³, estes contentores estão equipados com saco flexível totalmente estanque – o MasterbagTM – e com sistema de controlo de acesso Redin que, neste caso, funciona através de um cartão que é entregue à população, o qual permite a abertura do contentor para a deposição dos biorresíduos.

“Trata-se de um tipo de resíduos muito particular, não pode conter contaminantes nem qualquer outro produto, de forma que seja garantida a sua qualidade para ser efetivamente tratado e convertido em composto para a agricultura. Nesse sentido, o sistema de controlo de acesso tem um papel determinante no incentivo à deposição seletiva dos biorresíduos de forma correta”, refere Maria João Ferreira, diretora comercial da Lasso Eco Innovation para o mercado nacional.

Através destas iniciativas, a Lasso assume-se como parceira não só dos municípios, mas também das empresas prestadoras de serviços de gestão de resíduos. É o caso da SUMA, um parceiro que desde há longos anos trabalha em conjunto com a Lasso para proporcionar aos seus clientes comuns – os municípios – uma gestão de resíduos mais eficaz e mais sustentável.

Pelo quarto ano consecutivo, a Sopsa acaba de conquistar o estatuto de PME Excelência, atribuído pelo IAPMEI, em parceria com um conjunto de bancos e com as sociedades de garantia mútua. Esta distinção evidencia a capacidade da empresa na excelência do seu desempenho económico e financeiro, em todas as vertentes da sua atividade.

Sendo uma empresa exportadora e com representação internacional, o estatuto PME Excelência é particularmente relevante, constituindo um fator de diferenciação e representando o reconhecimento pela sua atividade empreendedora e pela sua solidez e idoneidade.

Obrigado a todos os nossos clientes, fornecedores e parceiros e parabéns a toda a nossa equipa, que tornam possível esta distinção!

O projeto de internacionalização da marca Lasso, sob a qual a Sopsa comercializa soluções avançadas de contentores para recolha de resíduos sólidos urbanos, recebeu o apoio do NORTE 2020, o que representa o reconhecimento das entidades oficiais pela solidez e dinamismo do mesmo.

O projeto de investimento em curso na Sopsa é parte integrante da sua estratégia para um crescimento sustentado, afirmação e ganhos de notoriedade nos mercados internacionais, através da aposta no lançamento de soluções inovadoras nos mercados alvo selecionados.

O NORTE 2020 (Programa Operacional Regional do Norte 2014/2020) é um instrumento financeiro de apoio ao desenvolvimento regional do Norte de Portugal, integrado no acordo de parceria Portugal 2020 e no atual ciclo de fundos estruturais da União Europeia destinados a Portugal.

CONSULTE AQUI A FICHA DO PROJETO:

A Lasso acaba de lançar um novo produto – o Lasso Semi PE 1,5m³, um contentor com todas as vantagens dos semienterrados, mas num novo formato, mais pequeno, desenhado especialmente a pensar nos biorresíduos e para situações de baixa produção de resíduos urbanos.

Os biorresíduos, pelas suas características, não podem estar armazenados por muito tempo, pelo que o novo formato com capacidade para 1,5m³ se apresenta como ideal para a sua recolha. Para além disso, como os resíduos são armazenados no subsolo, evitam-se os maus odores e a proliferação de bactérias. É um contentor de grande facilidade de acesso para o utilizador e as suas vantagens adicionais incluem o seu impacto visual reduzido e implantação perfeita no espaço urbano.

O novo Lasso Semi PE 1,5m³ é adaptável aos sistemas inteligentes de controlo de acesso para tarifação PAYT (Pay As You Throw) ou SAYT (Save As You Throw), e de monitorização de níveis de enchimento.

Este novo equipamento representa uma nova ferramenta para que os municípios possam otimizar a sua gestão de resíduos, incentivando a recolha seletiva por parte dos munícipes e dando um passo fundamental para a construção de um futuro mais verde e sustentável para as próximas gerações.

Acabam de ser instalados os 179 contentores Lasso Semi BT em França, para recolha seletiva de resíduos no âmbito do projecto SYMAT, que recolhe resíduos de cerca de 143.000 pessoas em 118 municípios dos Altos Pirenéus.

Instalados na região compreendida entre Lourdes e Bagnères-de-Bigorre, trata-se de contentores semienterrados de 5m³, com cuba em betão e sistema de extração Kinshofer. Os ecopontos são compostos maioritariamente por três unidades: uma para resíduos indiferenciados, uma para embalagens e uma para vidro, sendo que os primeiros estão equipados com tambor duplo para 90 litros e têm pré-instalação de um sistema inteligente para controlo de acesso, para tarifação PAYT.

O novo website da LASSO já está online, com informação sobre todos os produtos da marca para gestão de resíduos urbanos, incluindo as últimas soluções para recolha seletiva de biorresíduos.

Neste ano em que a Lasso está a celebrar os 30 anos da empresa, o novo website é mais um passo na melhoria da comunicação com os seus clientes, fornecedores e parceiros. É um site moderno, fácil de navegar, tem uma versão para telemóvel e está disponível em Português, Francês e Inglês, a pensar no mercado internacional, que tem registado um crescimento exponencial nos últimos anos.

Visite-nos em www.lasso.pt!

A gestão de biorresíduos desempenha um papel vital na obtenção de uma economia circular, especialmente à luz das próximas diretivas da União Europeia (UE) definidas para 2024. Essas diretivas enfatizam a importância de os municípios adotarem uma gestão eficaz para os biorresíduos, que incluem resíduos orgânicos, como restos de comida, resíduos agrícolas e resíduos de jardim.

A implementação de práticas eficientes de gestão de biorresíduos é crucial por várias razões. Em primeiro lugar, ajuda a desviar os resíduos biodegradáveis ​​dos aterros, reduzindo as emissões de metano e a poluição ambiental. Ao tratar os biorresíduos por meio de compostagem, digestão anaeróbica ou outros métodos inovadores, podem ser recuperados recursos valiosos que podem ser reutilizados em vários setores, como na agricultura e produção de energia.

Além disso, a gestão adequada de biorresíduos apoia o desenvolvimento de uma bioeconomia – os biorresíduos podem ser utilizados como matéria-prima para produzir biocombustíveis, bioquímicos e biomateriais, reduzindo assim a dependência de combustíveis fósseis e promovendo uma economia mais sustentável e eficiente em termos de recursos.

As diretivas da UE para 2024 aumentarão ainda mais a importância da gestão de biorresíduos na economia circular. Essas diretrizes concentram-se na promoção de sistemas de recolha seletiva para biorresíduos, melhorando a infraestrutura de tratamento e promovendo a cooperação entre as partes interessadas envolvidas na cadeia de valor deste tipo de resíduos. Ao definir metas ambiciosas e ao garantir a sua implementação adequada, a UE pretende que todos os municípios possam maximizar a valorização e reciclagem de bioresíduos, ao mesmo tempo que minimizam o seu impacto ambiental.

Em resumo, ao reduzir a produção de resíduos na origem, ao recuperar recursos valiosos e promover práticas sustentáveis, a gestão de biorresíduos contribui para a proteção ambiental, a eficiência de recursos e o desenvolvimento de uma bioeconomia. Dando uma resposta eficaz às diretivas da UE sobre biorresíduos em 2024, os municípios desempenharão um papel significativo na promoção do progresso e na garantia de um futuro mais sustentável para a Europa e para o planeta.

Já conhece as soluções Lasso para recolha de biorresíduos? Saiba mais em www.lasso.pt

O contentor enterrado Green Bee com pedal incorporado tem vindo a registar a preferência dos clientes Lasso no mercado nacional e internacional, designadamente de empreendimentos residenciais modernos, como o Acquadalva Residence (na foto), na cidade do Porto.

A sua grande capacidade, design, ergonomia, facilidade de acesso e adaptação aos novos sistemas inteligentes de controlo de acessos são algumas das características que distinguem estes equipamentos de recolha de resíduos mistos e seletivos da Lasso Eco Innovation.

Entre os dias 30 de maio e 3 de junho, a Lasso Eco Innovation esteve presente na IFAT 2022, o principal evento mundial do setor de tecnologias e serviços ambientais, onde apresentou as suas soluções de classe mundial para a recolha de resíduos urbanos. Na IFAT, os contentores enterrados e semienterrados da Lasso geraram enorme interesse por parte de clientes de vários países do Norte da Europa, mas também de Marrocos, Israel, Chipre, França e Itália, entre outros.

Foi um balanço muito positivo para a Lasso Eco Innovation durante a sua presença neste evento em Munique. Pedro Martins da Costa, CEO da Lasso, afirmou: “Foi uma oportunidade para encontrar clientes antigos e também receber empresas e municípios de países como EUA, Finlândia, Israel, Bélgica e tantos outros, o que representa um reconhecimento internacional pelas nossas soluções e equipamentos inovadores para a recolha de resíduos”.

A Câmara Municipal de Ovar continua a sua aposta na recolha de resíduos urbanos com soluções de contentores enterrados Lasso. Nos últimos dois anos, foram instalados em Ovar 61 contentores enterrados Green Bee para a recolha seletiva e indiferenciada de resíduos e, em 2022, está prevista a instalação de mais 16 contentores.

No seguimento desta mudança para as soluções de contentorização enterrada, e no âmbito de uma candidatura ao POSEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, a Câmara Municipal de Ovar vai ainda instalar na cidade mais 30 contentores enterrados Green Bee, desta vez para recolha de biorresíduos, totalizando espaço de armazenamento de mais de 90.000 litros, traduzindo a opção estratégica pela valorização destes resíduos. Os novos contentores enterrados Green Bee para biorresíduos em Ovar serão instalados com um sistema inteligente de controlo de acesso – o sistema Redin -, que permite à autarquia ter dados sobre a utilização do contentor e adotar novos sistemas de tarifação ou implementar sistemas de incentivo à separação dos resíduos por parte dos munícipes. O objetivo é aumentar a taxa de separação dos resíduos para reciclagem na origem, atingindo metas que conduzem a um incremento da valorização dos resíduos, rumo a uma economia circular.